Quando Duncan Kelman, de 50 anos, comprou uma casa, decidiu que não fazia sentido pagar pela água para molhar o jardim. Então, instalou tanques com capacidade para 4.500 litros que armazenam a água da chuva que cai sobre o telhado do home office, de 25 metros quadrados. É o suficiente para molhar as plantas, limpar as áreas externas da casa e ainda ajudar a irrigar um pequeno parque que fica logo atrás de seu terreno.

O investimento para instalar os tanques e o sistema de coleta da água foi de 1.500 libras (cerca de 6 mil reais). “Estamos reformando a casa e vamos instalar um tanque subterrâneo de 7.500 litros, com uma caixa d’água no sótão da casa que vai abastecer as descargas do banheiro e a máquina de lavar roupa”, afirma. “Espero ver uma boa redução na conta de água.”

Segundo o Departamento de Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais do Reino Unido, uma pessoa usa, em média, 150 litros de água por dia. Significa um gasto diário de 600 litros em uma casa onde mora um casal com dois filhos. Um terço dessa água é usado para a descarga dos banheiros (200 litros por dia) e 50 litros vão para a lavagem de roupa. Em um ano, o gasto total é de 220 mil litros, sendo que 40% desse volume – 88 mil litros – podem ser substituídos por água da chuva, gerando economia da conta. Em uma casa no Reino Unido com 100 metros quadrados de telhado é possível coletar 94 mil litros de água por ano, considerando o total de chuva de 1.107 milímetros em 2017. Para essa instalação, é recomendado um tanque de pelo menos 5 mil litros, que pode ser posicionado sob a terra, com acesso para manutenção.

Para usar a água da chuva dentro de casa, é necessário inserir uma bomba elétrica para levá-la até uma caixa d’água no topo da casa, para redistribuição em direção à descarga dos banheiros e à lavanderia. “A maior parte das pessoas usa a água diretamente dos tanques, mas alguns preferem um sistema de filtragem mais completo, para retirar qualquer coloração ou cheiro”, diz Haydon Robinson, diretor da Guttermate, empresa que faz instalações de sistemas de coleta de água no Reino Unido.

É possível instalar vários níveis de filtragem na água. Para deixá-la própria para beber, são necessários equipamentos mais sofisticados e até tratamento com radiação ultravioleta. “Mas a demanda de água potável não passa de 20% de todo o volume consumido em uma casa”, afirma David Butler, professor de engenharia hidráulica e de saneamento na Universidade de Exeter, no Reino Unido. “Prédios comerciais e residenciais construídos recentemente, assim como universidades e instalações governamentais, costumam ter sistemas de coleta de água da chuva para uso nos banheiros.”

Sobre um gramado e atrás de uma grade de proteção, um tanque azul de plástico, cilíndrico, com algumas pedras empilhadas ao lado para estabilizá-lo. Ao lado do tanque estão outras peças plásticas que vãos er utilizadas na instalação. Em primeiro plano, no canto da foto, há um carro estacionado. Pode-se ver que o tanque é bem maior do que o carro.

Tanque de 25 mil litros instalado para recolher a água da chuva que cai sobre o telhado do Centro de Inovação da Universidade de Exeter, no Reino Unido (Sarah Ward/Divulgação)

A legislação ambiental da região prevê, desde 2006, que todas as construções sigam uma série de regras – como limitação no consumo de água e de energia – para garantir que sejam sustentáveis. A Universidade de Exeter usa água da chuva nas descargas dos banheiros e nas fontes decorativas do prédio. No Centro de Inovação do campus, os 1.500 metros quadrados do telhado geram 800 mil litros de água por ano. Segundo a associação UK Rainwater Management, 1.500 sistemas de coletas de águas pluviais são instalados a cada ano no Reino Unido em residências e 500 em imóveis comerciais. Para David, a utilização residencial seria maior se houvesse incentivos do governo. “Na Alemanha, por exemplo, há descontos de até 50% na instalação desses sistemas e redução nas taxas cobradas pelo descarte de água.”

Existe também uma discussão a respeito do gasto energético das bombas necessárias para transportar a água dos tanques subterrâneos até o topo das casas e prédios. “Estamos desenvolvendo maneiras de diminuir o consumo de energia do equipamento”, afirma David. Um jeito é recorrer aos painéis fotovoltaicos para alimentar o mecanismo de forma sustentável.

Para os especialistas, as vantagens ambientais e a economia de dinheiro compensam o investimento. Além disso, o sistema também pode servir como uma rede de segurança para pessoas que vivem em locais onde o fornecimento de água é intermitente, principalmente em países em desenvolvimento. “Outra vantagem, da qual não se fala muito, é o controle de alagamentos e enchentes”, diz o engenheiro Peter Melville-Shreeve, pesquisador da Universidade de Exeter.

Uma ponte de pedra centenária está pela metade debaixo da água, devido ao aumento do nível do rio. Ao fundo se vê a rua parcialmente alagada, algumas casas, e uma igreja, também de pedra.

A coleta de água também pode tornar as cidades mais resilientes a variações no regime de chuvas e evitar enchentes, como a mostrada na foto, na cidade de Eynsford, no Reino Unido (Stephen Craven/Geograph.org)

A coleta em tanques permite às companhias de esgoto administrar melhor o volume de água em caso de tempestade. “No Reino Unido, toda construção com mais de um hectare precisa ter um sistema de escoamento capaz de lidar com possíveis tempestades, prevendo, inclusive, o aumento delas devido às mudanças climáticas”, afirma Peter. “Isso inclui a coleta de água de chuva.”

Seja para limitar o consumo de água potável, seja para diminuir o risco de enchentes e alagamentos, aproveitar de forma inteligente os recursos hídricos é uma solução sustentável, simples e democrática.

PARA SABER MAIS

  • Este manual do Cisterna Já explica em detalhes como criar seu próprio reservatório para armazenar água da chuva.
  • Acesse aqui o estudo do pesquisador Peter Melville-Shreeve, entrevistado nesta reportagem, sobre as inovações nos sistemas de coleta residencial de águas pluviais no Reino Unido (em inglês).
  • Documento de 2010 da Agência Ambiental do Reino Unido - "Harvesting rainwater for domestic uses: an information guide"
  • Documento de 2010 da Agência Ambiental do Reino Unido sobre as emissões de carbono relacionadas aos sistemas de coleta de água da chuva.
  • Vídeo caseiro feito por Duncan Kelman, entrevistado na abertura desta reportagem, para mostrar a instalação inicial do tanque na casa dele.